História da África

História da África - Cronológica


EXTRAÍDO DOS LIVROS "DICIONÁRIO YORUBÁ-NAGÔ-PORTUGUÊS", "DICIONÁRIO ANTOLÓGICO DA CULTURA AFRO-BRASILEIRA" E "ZUMBI DOS PALMARES, A HISTÓRIA DO BRASIL QUE NÃO FOI CONTADA" DE EDUARDO FONSECA JÚNIOR.

DATA HISTÓRIA
5000 à 4000 a.C. Os negros ocupavam a África, até então habitada pelos prováveis ancestrais dos atuais pigmeus. Encontramos, na Núbia, relevos rupestres.
3000 à 2000 a.C. Invasão egípcia à Núbia. Exploração das minas na Núbia. Exploração da baixa Núbia pelos governadores de Elefantina. Pepi I faz esculpir na Núbia os obeliscos para Heliópolis.
2000 à 1800 a.C. Entrada de ODÙDÚWA na África Negra. Pacto entre Jeovah e Abraão. Pacto entre OLODUMARÉ e Nimrod (Oduduwá). Início de dinastia Yorubana.
1558 à 1400 a.C. Fundação de ILÊ-IFÊ e OYÓ. Aparecimento de OKANBI, ORANIAM, AJAKA E XANGÔ. Expansão egípcia até o Sudão. Criação no Sudão do Culto à DEUSA SERPENTE. Dados históricos de um chefe branco (Oduduwá), comandando um exército de negros. Fundação da província de KUS. Advento de Amenofis I. Introdução do cavalo no Egito pelos Hycsos. Reina Tutmes I. Reino da Rainha Hatashepsut (corresponde à 18ª dinastia).
Séc. XIV/XVIII Fundação do Templo de Amon em Soleb. Reina Amenofis IV no Egito em 1372 a.C.
1354 à 1346 a.C. Reina Tutankamon. Restabelecimento do culto a AMON.
Séc. XIII/XII Êxodo dos judeus do Egito.
1301 à 1235 a.C. Introdução de estranho metal (aço) no Egito.
Séc. VII/VI até IV Aparecimento da civilização NOK. Artesanato em terracota, que persistirá até o primeiro século a.C.
605 à a.C. Rei Necau II é derrotado por Nabucodonosor.
505 a.C. Egito é conquistado pelos Persas.
Séc. II/II/I Divisão das artes helênicas.
332 a.C. Conquista do Egito por Alexandre, o Grande.
143 a.C. Destruição de Cartago pelos romanos.
Anno Uno ou -5 Nascimento de Jesus Cristo em Belém, Judéia.(consoante ao Calendário Gregoriano -5 anos na Era Cristã)
Até o Séc. IV Fundação da primeira dinastia de Ghana com 44 soberanos. Infiltração do cristianismo na Arábia do Sul. Fundação da Meca, que se transforma em um grande centro comercial.
550 Viagem do legendário monge irlandês São Brandão às ilhas Madeira e Canárias.
660 Primeira exploração das minas de ouro no alto Senegal. Primeiro reinado Nupe. São descobertos os tesouros faraônicos no Egito.
790 Assassinato do príncipe regente de Ghana, que passa o domínio para Kaya Maghan, rei de Uagadu.
890 Os Djermans impõem seu domínio. Islamização da África Oriental. Introdução pelos árabes do caurí (búzios), moeda corrente que domina todo o interior da África. Descoberta das torres e tumbas de pedras, em Angola. Desabrochar da cultura do bronze na Nigéria. Cultura Ifé imposta em cerâmica, bronze e quartzo.
990 Princípio da emigração dos Bantos da África Central para a África Austral. Tomada de Ghana por Audaghost.
Séc. XI Soberano de Gambaga estende sua influência por todo Alto Volta.
1010 Os Djermas transladam a capital de Sonrhai para GAO. O soberano dos Djermas se converte ao Islamismo. O historiador árabe El Bekri faz a primeira descrição histórica da África, situando a capital de Ghana.
1050 Chefe da província do Mendes se converte ao islamismo. Primeira monção por El Bekri do Império de Bornu.
1061 à 1075 Um chefe almoravita empreende uma guerra a Ghana, que se desmantela.
1083 Uma Embaixada de negros é enviada à China ante o Imperador Cheun-Tsung.
1086 Conversão do soberano do Bornu ao Islamismo. Na Europa o Papa Gregório VII prepara sua primeira cruzada. Os árabes iniciam o comércio de porcelanas e moedas.
Séc. XII Formação dos reinos Mossi na cabeceira do rio Niger. Fundação da primeira cidade Haussa. Dinastia totalmente muçulmana em Bornu. Construção de Zimbabwé.
Séc. XIII Formação dos reinos de Gongo. Instalação do Império do reino Dagon à margem do Rio Bandiagara. Assassinato pelo imperador dos Sossos de um príncipe de Mendes e seus onze filhos; o décimo segundo filho Sundiata, se salva e reúne um exército restabelecendo a autoridade.
1234 Sundiata devasta Tinkisso, ataca os Bambara do leste e entra em Dieriba, a capital.
1235 Derrota do imperador dos Sossos. Durante o reinado de Sundiata, desabrocha a economia de Mali.
1255

Morre Sundiata.
1275 Estando a dinastia de Ifé em seu apogeu os Yorubá dominam Nupe. Formação do artesanato de bronze de Benin por um artista chegado de Ilê-Ifé. Morte de São Luiz em Tunis.
1291 Genovês Vivaldi na costa ocidental da África.
Séc. XIV

Conversão dos príncipes Haussas ao Islamismo. Descoberta na África Negra, de máscaras, adornos e jóias de ouro de dinastias extintas. Reinado de Kan-Kan (Congo)
1324 Kan-Kan provoca miséria em seu povo, pelos seus gastos excessivos em ouro.
1375 Kan-Kan se transforma em Imperador dos Mandingas.
Séc. XV Os Messi, os Tuareg e os Sonrhai atacam Mali. Primeira chegada dos portugueses a Benin, para admirarem o artesanato em bronze.
1442 Nuno Tristão chega ao país dos Negros.
1446 Pedro de Sintra chega à Serra Leone. Tomada de Constantinopla. Fim da guerra dos Cem Anos.
1470 Francisco Gomes obtém o monopólio do comércio da Guiné por cinco anos.
1484 João II rei de Portugal, acreditando que Mali é um poderoso Império, manda seus embaixadores a Mali. Diogo Cão chega a Angola, descobre o rio Congo. Aproximação de Portugal com Manicongo e Matamba.
1490 Batismo do rei do Congo, com o nome João I. Filho do Manicongo é sagrado Bispo do Congo por Roma.
1492 Bartolomeu Dias dobra o Cabo da Boa Esperança e os portugueses invadem o Zimbabwé. Colombo descobre a América.
1498 Francisco Pizarro invade o Perú, assassina Athaualpa. Começa a destruição da cultura Inca. Fuga de Ayoascar, irmão de Athaualpa para o Brasil. - Mesmo período Fernão Cortez destroi a cultura Asteca de Montezuma e Gualtemoc.
1500 aD. Desabrochar na atual Ghana, dos impérios de Adansi e Ashantis. Primeira revolta no Congo contra o Cristianismo rola o sangue negro. Descoberta em Benin a cabeça da Rainha Mãe. Leonardo da Vincci interessa-se pelas artes Orientais. Os portugueses aliam-se a Benin que envia uma embaixada negra a Lisboa.
1545 aD. Autorização do tráfico de escravos para as colônias das Américas.
1548 aD. João III de Portugal envia jesuítas ao Congo. A capital do Congo passa a ser São Salvador. Bula pontifícia de Paulo II conferindo o título de homens (seres humanos) aos indígenas dos países recém-descobertos de Portugal. Caça aos índios no Brasil para a escravidão. Guerras Justas provocam matança de índios em alta escala para lhes tomar as terras litorâneas do recém-descoberto Brasil.
1550 aD. Construção portuguesa na África.
1559 aD. Chegada dos primeiros escravos negros ao Brasil para o Colégio da Bahia – Padre Nóbrega, o 1º catequista humano e liberal do Brasil.
1580 aD. Felipe II de Portugal manda Carmelitas ao Congo. Decadência total do reino de Congo.
1590 aD. Os Adansis dominam o grupo Akan-Ashanti. Começo do segundo período de artes de Benin: placas de bronze nos pilares dos pátios internos dos palácios de Benin. Publicação na Europa de um elogio a Duarte Lopes, pelas informações de infra estrutura das tribos no Congo. Tradução de diversas línguas africanas por De Bry.
Séc. XVII Fundação do Reino Bambara em Karta. Cartógrafos franceses em viagem de reconhecimento da África. Apogeu do rei dos Bakuba. Protesto e dissidências entre os Yorubás.
1602 Olfert Dapper descreve Benin para Amsterdam.
1610 Fundação do Quilombo dos Palmares.
1612 Daniel de La Touche, corsário francês, invade o Maranhão e funda a cidade de São Luís em homenagem ao rei de França.
1627 Os holandeses invadem Salvador, Bahia.
1630 Os holandeses desembarcam em Pau Amarelo, conquistam Olinda e Recife. Aliados a brasileiros expulsam os portugueses.
1637 Maurício de Nassau chega ao Brasil, iniciando o desenvolvimento da Colônia. Carta de Nassau a Amesterdã descrevendo a têmpera dos brasileiros, e declarando apoio à Palmares (Zumbi), colonos e piratas brasileiros.
1638 Maurício de Nassau invade São Paulo de Luanda em Angola conquistando-a para a Capitania de Pernambuco. Com apoio de Maurício de Nassau, Pieter Jansen Bas e Dom José do Vale, o corsário brasileiro conhecido por Cabeleira, invadem o Maranhão e derrubam o governador português Bento Maciel Parente.
1640/1650 Bambushê Adinimódó, sumo-sacerdote dos Mahiis (Dahomé), trava contato com Isaak Abuab da Fonseca, primeiro rabino do Brasil colonial (Recife) e assume diante de Zumbi dos Palmares a liderança político religiosa dos quilombos.
1625/1650 Fundação por DEKO do Império do Dahomé. Por dissidência dos grupos Yorubás surge o grupo dos Fons. Data presumível, África.
1651 Os holandeses fundaram na África do Sul a cidade do Cabo.
1652 Início das guerras aos Quilombos dos Palmares.
1680 Sublevação ashanti e fundação do império ashanti. Princípio da decadência da arte de Benin.
1691/1695 Conselho Ultramarino ordena a destruição de Palmares que só se concretiza em 1695, após um sítio de 5 anos por 9 mil soldados.
1713 Tratado de Ultrecht que regulamenta o tráfico de escravos.
1727 Dahomey: ocupação do reino de Allada por Agadja, sucessor e irmão de Akaba.
1729 Agadja controla todo o litoral Dahomey.
1730 Morte do imperador ashanti Koffa Kalkalli, e é feita sua máscara de ouro. Querelas por sua sucessão. Emigração de um grupo Ashanti enviado pela irmã de Dakon, que funda o reino de Baule na Costa do marfim.
1730/1749 Reinado de Apoku Auêre, que deslancha militar e economicamente o reino Ashanti.
1738 Os Yorubás aliam-se a Abomey durante o reinado de Tegbêssu. Os Yorubás rompem o acordo e tentam cobrar um tributo anual a Abomey.
1739 Chegada de membros da Família Real do Dahomé a São Luís, Maranhão e integração dos mesmos com os remanescentes de Palmares e tribos locais.
1775 à 1789 Rei Kapengla tenta libertar o reino de Dahomey do jugo Yorubano.
1789 à 1797 Debilitação da autoridade real de Dahomey. Usman constitui na Nigéria um império muçulmano que agrupa os estados Haussa, o reino Nupe e o Cameron setentrional. Usman toma o nome de Afonjá (Muçulmano).
1800 Embaixada de negros dahomeanos em missão Oficial a Salvador – Bahia.
1810/1814/1815 Usman morre e começa um período de anarquia até 1900. Sua capital toma o nome de Ilorin. Inglaterra compra Colônia do Cabo.
1818/1858 Ghezo restabelece a autoridade no Dahomey e derrota os Yorubás e deixa de lhes pagar tributo.
1849 Os franceses fundam Libreville no Gabon.
1850 Extinção do tráfico de escravos no Brasil.
1851 Ghezo firma tratado com a França.
1853 Desaparecimento do Império Bornu.
1854 Morte de Adana, que fundou o império muçulmano no norte da Nigéria.
1858 Os primeiros missionários e colonos no Dahomey, durante o reinado de Gléglé.
1860 Guerra Civil americana pela extinção da escravatura.
1867 Descobrimento de diamantes na América do Sul, na cidade do Cabo das Minas de Monomotapá.
1874 Incursões inglesas contra os Ashantis.
1877 Inglaterra coloniza o Transvaal.
1884 Descoberta de ouro em Transvaal. Os alemães entram em Togo.
1888 Extinção da escravidão no Brasil.
1889 Behanzin por sua intransigência provoca a anexação do Dahomey pela França.
1889 Proclamação da República no Brasil. Chegada de colonos europeus. Escravos libertos são jogados na indigência pelo novo sistema de governo.
1890 Fim do reinado de Banbara
1897 Expedição punitiva dos ingleses a Benin. Anexação do país à Inglaterra. Os bronzes descobertos são levados para os museus europeus.
1898 Rev. Samuel Johnson lança seu livro “A História dos Yorubás” – em Oyó.
1900 Última sublevação Ashanti contra os ingleses. Anexação do Império Ashanti pelos ingleses.
1906/1907 Descobrimento da Arte Negra por Matisse, Braque e Picasso.
1914/1918 Guerra Mundial na qual participam os batalhões de negros recrutados nas colônias na África. Partilha entre os aliados das colônias alemãs.
1915 Carl Einstein publica o livro Nigerplastic.
1917 Guilherme Apolinaire publica o primeiro álbum francês, dedicado à escultura africana.
1920/1935 Grandes exposições de Arte Negra, na França: Marseille e Paris, em dois pavilhões – Marsan e Galeria Pigalle.
1930 Aparecimento do escultor Yorubano Bamgboye.
1937 Antigo Museu de Etnografia de Paris se transforma em Museu do Homem.
1944 Conferência de Brassaville.
1957 Kwamen Nkrumah liberta Ghana da colonização inglesa trocando o antigo nome de Costa do Ouro para República de Ghana.
1958 Sublevação das colônias africanas.
1963 Independência total da Nigéria, deixando a rainha da Inglaterra de ser o primeiro mandatário do país, adquirindo o nome de República Federal da Nigéria.
1964 Fundação da O.U.A.: Organização da Unidade Africana. Esta organização foi planejada em 1957 por Nkrumah. Movimentos de Libertação na África Frelimo, CNA, FNLA, MPLA, SWAPO, UNITA.
1975 Os Bantos conseguem a independência de seu país Angola, que se transforma em República Socialista de Angola, saindo do jugo português. Revolução dos cravos Vermelhos em Portugal, fato que altera a política para as Colônias Ultramarinas da África.
1975-1992 Os resultados da descolonização de Angola, feita sem o devido critério e análise dos conflitos étnicos existentes desde o seu descobrimento, gera, por culpa de Portugal, vinte e cinco anos de governos totalitários e uma guerra que matou mais de dois milhões de angolanos. Os responsáveis foram: Eduardo Soares, Holden Roberto e Jonas Savimbi.
1999 A fome, a miséria e a morte imperam na Somália, Burundi e em várias outras recém criadas repúblicas, matando milhões de crianças e mulheres diante do descaso dos países do Primeiro Mundo, que assistem impassíveis à apocalíptica destruição da Velha Mãe África que um dia supriu seus celeiros e povos com o imprescindível braço e sangue negro.

Contato | Anuncie na Yorubana | Desenvolvido por Yorubana - 2007-2011